terça-feira, 27 de novembro de 2007

Europa Filmes quer destruição de equipamentos de exibição de Universidade

Consórcio Europa Filmes processa universidade devido a Cineclube

No mês de setembro, ocorreu a Jornada Nacional de Cineclubes Brasileiros, incentivo a atividade cineclubista, na Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Porém, passados 2 meses, na quarta-feira (14) a universidade foi condenada a pagar indenização pelas atividades do Cine Falcatrua, o qual funciona desde 2004 na universidade. A ação surgiu devido a exibição do filme "Fahrenheit 911", do cineasta Michel Moore. O consórcio Europa, responsável pela distribuição do filme, entrou com pedido de indenização por danos patrimoniais e morais que dentre outros solicita "destruição dos equipamentos usados para as exibições". A juíza da 6ª Vara Federal Cível, Renata Coelho Padilha Gera julgou parcialmente procedente os pedidos indenizatórios.

A UFES deverá pagar multa diária de R$ 10 mil por novas infrações semelhantes. Também foi condenada a pagar ao Consórcio Europa, a título de dano material, o valor correspondente aos custos de aquisição para distribuição da obra exibida. Em comunicado recente os cineclubes brasileiros apelam "a todas as forças da sociedade para se posicionarem contra esse grave precedente, ainda em primeira instância, que atenta contra o direito que tem todo ser humano 'de participar livremente da vida cultural da comunidade, de fruir as artes e de participar do progresso científico e de fruir de seus benefícios' (Declaração Universal dos Direitos Humanos)".

Em entrevista recente, o cineasta Michel Moore afirmou: "Não concordo com as leis de direitos autorais e não quero criar um problema com pessoas que querem apenas assistir aos filmes. Enquanto não tentarem lucrar com o meu trabalho, para mim está tudo bem". As exibições no Cine Falcatrua costumam ser gratuitas, respeitando assim a legítima decisão do autor.


Links:: Apoio ao cine falcatrua Cine falcatrua - Nota Oficial do Conselho Nacional dos Cineclubes Brasileiros

Fonte: Centro de Mídia Independente Brasil


Abaixo nota de apoio da Associação Brasileira de Documentaristas e Curtametragistas do Rio de Janeiro


A Associação Brasileira de Documentaristas e Curtametragistas do Rio de Janeiro - ABDeC/RJ, todo apoio ao Cine falcatrua e a UFES

A Associação Brasileira de Documentaristas e Curtametragistas do Rio de Janeiro -ABDeC/RJ, vem por meio desta nota expressar a sua mais absoluta solidariedade com os cineclubistas, estudantes, professores e funcionários em geral; enfim, toda a comunidade da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), diante da decisão arbitrária e violenta do poder judiciário deste estado de reprimir a livre circulação de idéias e imagens dentro de uma universidade.
Além disso, a ABDeC/RJ repudia a decisão, absolutamente obscurantista, de determinar a destruição de equipamentos audiovisuais que são patrimônio público, e parte indispensável para ao bom funcionamento da atividade de ensino, pesquisa e inserção social de uma universidade.
Ressaltamos ainda que seria absolutamente inadmissível, do ponto de vista ético e democrático, qualquer invasão da universidade pela polícia, sobretudo para empreender a mencionada destruição de equipamentos.
Em defesa da democracia, da liberdade de expressão, e da livre circulação de idéias, bens, imagens e pessoas!

Rio de Janeiro, 16 de novembro de 2007.

Diretoria ABDeC/RJ
Dario Gularte (Presidente)
Marcio Blanco (Vice-Presidente)
Clementino Junior (Diretor)
Guilherme Whitaker (Secretário)
Angelo Defanti (Tesoureiro)
Clementino Junior (Diretor)

4 comentários:

Anônimo disse...

Adorei encontrar um blog sobre "outro cine". Já baixei o curta mexicano e aos poucos, irei lendo todos os textos e dicas do blog.

Camila
mesmachuva.blogger.com.br

Loly disse...

Boa colocação Yerko!
Assisti esse filme na cadeira de Política da faculdade e sinceramente achei bem forte, se tratando de tantas coisas expôstas...
Mas o fato, de "desmascarar" e expôr idéias perante aqueles que se sentem os senhores do mundo é fantástico e isso torna o filme Indispensável para aqueles que não têm o devido conhecimento do que realmente acontece! Ninguém é induzido pelo filme, só nos faz refletir e abrir os olhos para dar o nosso "voto" de confiança à esses corruptos.
Acho realmente lamentável essa decisão judicial. Como você mesmo disse! Após essa decisão me pergunto:
- Cadê a democracia,a liberdade de expressão, e da livre circulação de idéias, bens, imagens e pessoas?
Isso é um país que há democracia e respeito pelas opiniões alheias?
A cada dia, a cada decisão... Fica claro que isso, aqui, ainda não existe!
Somos julgados o tempo todo por expôr idéias que não convém aos "poderosos", e não havendo este respeito pelo cidadão, por suas opiniões, de nada adianta esperar e sonhar por um país mais justo!
Desde que o mundo é mundo, a verdade vem da "Burquesia" e isso é tão triste, não é mesmo?
Continuaremos lutando para através de denúncias
como esta, podermos chegar mais próximo da verdade e da transparência política. Coisa rara hoje em dia!

Beijão e pela milésima vez... PARABÉNS!

Fã incondicional dos vossos blogues!

Yerko Herrera disse...

Camila, obrigado! Espero que continue visitando o OutroCine e que participe quando quiser!

Beijão.

Yerko Herrera disse...

Loly, realmente é lamentável a truculência da atitude dessa empresa que se acha no direito de destruir um movimento sem fins lucrativos que fomenta a cultura e o debate.

Temos que lembrar também que destruir equipamentos de uma universidade federal é atentar contra o patrimônio público.

Viva a Cultura Livre!