quarta-feira, 9 de julho de 2008

Pequena Dança Intimista em Curta Indiano

As novas tecnologias estão democratizando a produção audiovisual. Isso, aliado as novas mídias, como a internet, permite que essas produções alcancem espectadores muito além de suas fronteiras. Um exemplo disso é o curta-metragem indiano Dancing Queen, captado através de um aparelho celular. A grana e os caros equipamentos de filmagem não se fazem necessários aqui, este curta é a prova de que pra se fazer um belo filme basta uma boa ideia. Dancing Queen foi dirigido por Sumit Roy, cineasta e roteirista independente radicado em Nova Deli, na Índia. Roy já teve filmes selecionados nos festivais de Cannes e Toronto. Y.H. short film

Dancing Queen


Sinopse
Um pequeno filme intimista sobre a alegria de dançar. Captado através de um telefone móvel.

Gênero Ficção
Diretor Sumit Roy
Elenco Meghna Mehta
Ano 2008
Duração 1'20''
Cor Colorido
Bitola Celular
País Índia

13 comentários:

Letícia Castro disse...

PQP! Quando a câmera abriu, fechei os olhos e chorei! Rapaz! A sensualidade, a poesia dela são livres, transbordam pela limitação da cadeira de rodas. É como um doce soco no estômago.
Posso divulgar isso no meu blog? Eu sempre coloca as referências, não se preocupe. Deixa, por favor!!! rs
Sou jornalista tb, de São Paulo e te rastrei a partir do blog do Juan, um grande amigo.
Te convido a conhecer o Babel.com, será um prazer.
Yerko é nome cigano?
Beijo!
Leticia.

Yerko Herrera disse...

Letícia! Esse curta é uma porrada mesmo, belíssimo, pura poesia. Que legal que tu descobriu o OutroCine através do blogue do Juan. Esses dias o Juan visitou meu outro blogue, o Música&Poesia (musicapoesiabrasileira.blogspot.com), cara gente fina.

Claro que pode Letícia, por favor! Pra mim é muito benéfico que tu divulgue. Sinta-se a vontade sempre pra fazer, nem precisa perguntar! Ainda mais que sou um entusiasta da Cultura Livre, pois ela não deve ficar restrita e enclausurada, ela serve pra se espalhar, assim quem sabe o acesso a informação fique mais democrático.

Sobre o meu nome, já ouvi várias teorias e informações a respeito da origem. Já me afirmaram que é cigano, russo, iugoslavo... Mas a informação mais convincente veio de um amigo alemão que morava em uma cidade fronteiriça à Eslováquia. Ele me afirmou com toda certeza que o nome é eslovaco, e que lá é muito comum, quase como se fosse João aqui no Brasil. Hehehe, vai saber, né? Então, até que se prove o contrário, o nome Yerko é eslovaco.

Obrigado pela visita e pelo comentário. Volta sempre!

Beijão,
Yerko Herrera.

Thalita Coisa e Tal disse...

Que lindo!!

Já tinha visto a dança com dedinhos outras vezes, mas essa realmente emociona pela imagem final.... enquanto o vídeo abria em minha casa fiquei imaginando que a pessoa deveria ter noções de dança para "fazer" os passos tão parecidos com o tango (danço um pouquinho...rs), ao final do vídeo fiquei boquiaberta!!
É realmente lindo!!

Ah! Descobri o blog atravez de um email que recebi de um professor meu da faculdade, o Paulo Gurgel.

Abs! ^^

Letícia Castro disse...

Yerko, eu não tinha visto a tua resposta aqui, mas achei que vc não tinha tido tempo de responder, não fiquei chateada de jeito nenhum. : )
Muito obrigada pelo teu comentário lá no Babel, adorei que vc curtiu porque eu gostei muito do Outro Cine (preciso explorar melhor os outros!) e quero que a gente mantenha o contato. Vamos trocar links? Já tô subindo o teu lá no Babel.
Perguntei pelo teu nome, porque tenho origem cigana pela minha família materna (da Andaluzia), aí me chamou a atenção.
Amigo, muito obrigada pelo carinho e vamos nos encontrando por esses nossos cantinhos, tá bom?
Vou subir o post amanhã, muuuito obrigada!
Beijo!
Letícia.

Yerko Herrera disse...

Ô Thalita! Adorei teu comentário. Concordo, a pessoa tem que ter bastante noção de dança pra fazer aquilo com os dedos. Tu sabe que eu até tentei brincar um pouco daquele jeito pra ver se conseguia dançar com os dedos. O resultado foi desastroso, percebi que a falta de malemolência não é mero (des)privilégio de minhas pernas!

Que beleza que o professor Paulo recomendou pra vocês o OutroCine, enorme alegria mesmo. Tô devendo um email pra ele. Agradeça por mim e mande-lhe um abraço.

Beijão Thalita. Apareça!

Yerko Herrera.

Yerko Herrera disse...

Letícia, sou eu que agradeço! Pô, que legal, de Andaluzia! Sou muito fã de um "gitaneo", queria saber cantar daquele jeito. Boa idéia, vou procurar algum curta que tenha como temática o povo cigano.

Beijão, amiga!

Yerko Herrera.

Thalita Coisa e Tal disse...

O Paulo Gurgel foi meu professor de Psicologia da Educação qdo cursei Pedagogia na UFBA, se quiser te passo o email dele!

bjsss

Yerko Herrera disse...

Bacana mesmo Thalita! Claro, seria uma boa mandar um email de agradecimento pra ele!

Beijão!

Caroleta. hehe. disse...

Vc sabe que sou tua fã, né? (Começou a rasgação de seda!hahaha)
Antes de te conhecer eu achava que era cinéfola. hahaha. Tadinha, nem sabia do que se tratava de verdade.
Através de ti, descobri minha real ignorância ao me descrever de tal forma. E não só a minha, como a de muitos que se dizem entedidos, que se dizem apaixonados por cinema, mas que não sabem sequer apreciar coisas lindas como essa. Eu estou maravilhada... Eu sempre que posso, venho aqui dár uma espiadinha. Pois sei que é o lugar onde sempre vou aprender alguma coisa nova. Nem sempre me manifesto, por não sentir necessidade, já que não me considero entendida o suficiente para isso e também porque, algumas pessoas "falam por mim".
Mas ao ver este curta, senti uma necessidade enorme de comentar, falar. Isso é simplesmente lindooo!
Primeiramente chama nossa atenção a habilidade como meche os dedos, arriscando passos de tango (Assim como a Thalita também faço tango e sei o quanto é difícil). E depois a surpresa em ver ela na cadeira de rodas. Fiquei pensando... Será que ela dançava tango antes de um acidente que a impossibilitou de dançar e ela transferiu isso para os dedos? Ou será que ela observa pessoas dançando e apenas com os olhos e o coração conseguiu saciar um pouco a sua enorme vontade de dançar através de sua habilidade com seus dedos?
Incrível, incrível, incrível! Passou diversar coisas em minha cabeça e sem dúvidas a certeza de que quem teve essa idéia, possui uma sensíbilidade admirável. Assim como vc Yerko. Que teve a feliz idéia de dividir essa maravilha com todos nós.

P.s.: Eu também tentei fazer isso com os dedos! hahahaha. Acho que não me saí tão mal. Mas confesso que levo mais jeito com as pernas! hehehe. ;p

Parabéns mais uma vez!
Beijão.

Bia disse...

Olhos encheram d'água. Lindíssimo.

Jú disse...

Fiquei muito a fim de assistir, ainda mais depois de ler os comentários, mas o filme não carregou. Teria outro link?

Yerko Herrera disse...

Jú, aqui tá rodando direitinho! Mas muito obrigado por avisar. Se não conseguir assistir aqui pelo blogue, o linque do filme é: http://br.video.yahoo.com/watch/2651009/7772512


Beijos!!!

Bia, valeu pelo comentário!!
Bj.

Renan dos Reis disse...

Doce, lírico e inteligente.
Como dizia o nosso grande mestre da sétima arte Glauber Rocha: "Uma câmera na mão, uma idéia na cabeça" já basta...
Viva ao cinema indiano.