sábado, 16 de agosto de 2008

O Mundo rumo ao seu Fim - O Caos do Consumismo em Documentário

Alguns anos atrás para nós, latino-americanos, sem exceção, o consumo desenfreado era uma realidade muito distante. Ver pessoas tomando refrigerantes de cores, aspectos e nomes que nunca imaginamos, amassando suas latinhas e jogando fora, pegando em seguida outras latas, era coisa que só podíamos apreciar em filmes gringos. A geladeira, a televisão e qualquer outro eletrodoméstico adquirido com tremendo esforço, no mínimo deveria durar de 20 a 30 anos. O carro era um casamento, pra vida toda. Ouvir relatos de que nos países do norte as pessoas usavam seus aparelhos eletrônicos por pouco tempo e depois os jogavam fora (muitas vezes em perfeito funcionamento) pra poder dar espaço para um mais moderno, parecia uma realidade que nunca chegaria até nossos países pobres. 


Durante muito tempo o modelo estadunidense era visto por muitos como um exemplo a ser seguido. Lá todos tinham grana pra comprar o que quisessem, desde o mais supérfluo até o mais caro objeto. O consumo era o modelo mais eficaz de gerar e manter empregos, movimentando a economia e sustentando o desenvolvimento. Pois este modelo caducou. Parece que não pensaram que isso tudo gerava males como poluição, escassez dos recursos naturais e, aliado ao crescente aumento da população, lixo e mais lixo. O consumismo exagerado chegou por aqui e, mesmo para nós, habitantes de países pobres (eles preferem nos chamar de países em desenvolvimento), tomar cerveja em lata, comprar badulaques plásticos e cobiçar o eletrônico da vez, agora é uma realidade. O caos eminente está muito próximo, o planeta demonstra seu cansaço e nesse ritmo as previsões não são nada esperançosas. O documentário A História das Coisas (The Story of Stuff) trata sobre a saturação do modelo consumista e a destruição que o consumo excessivo gera. O roteiro é da perita internacional em sustentabilidade e questões de saúde ambiental, Annie Leonard, que também apresenta o documentário. Parece que os estadunidenses, ou uma pequena parte deles, estão fazendo mea-culpa nas questões relativas ao meio ambiente. Vale o alerta contido nesta produção, a responsabilidade é de todos nós.
Yerko Herrera

A História das Coisas (The Story of Stuff) - versão dublada (Brasil)

A História das Coisas (The Story of Stuff) - versão legendas português (br)


The Story of Stuff versão original


Baixe A História das Coisas
Dublado - Versão brasileira em Flash (.flv 50.08 MB)
Legendado - Versão EUA em Flash (.flv 50.08 MB)
Dublado - Versão brasileira para Ipod [.mov /.mp4)
Legendado - Versão EUA para Ipod (.mov /.mp4)


Sinopse
Da extração e produção até a venda, consumo e descarte, todos os produtos em nossa vida afetam comunidades em diversos países, a maior parte delas longe de nossos olhos. História das Coisas revela as conexões entre diversos problemas ambientais e sociais, e é um alerta pela urgência em criarmos um mundo mais sustentável e justo.

Gênero Documentário
Diretor Louis Fox
Elenco Annie Leonard
Ano 2007

Duração 21min
Cor Colorido
País EUA



Mais informações sobre o filme no saite oficial The Story of Stuff. Para informações sobre a versão legendada e dublada em A História das Coisas - versão brasileira.

O filme The Story of Stuff está sob uma licença Creative Commons

2 comentários:

Jú disse...

É assustador o que nós, seres humanos, supostos detentores da sabedoria (Homo sapiens)estamos fazendo com nosso planeta, nosso lar... Não me isento da culpa, pois também sou consumidora, mas todos nós deveríamos consumir com sabedoria. Pequenas ações fariam toda a diferença (separar o lixo, pelo menos em casa, utilzar "ecobags" ao invés das sacolas plásticas dos mercados, são alguns exemplos).
O homem é o único animal que destrói o lar onde vive. "Quanto mais conheço os homens, mais admiro os animais."


Esse é o típico vídeo que muitos deveriam assistir... E pelo visto não assistem, já que "não é problema deles".

Valeu pela dica, bjs

Yerko Herrera disse...

Jú! A Natureza dá toda hora sinais de sua fúria e cansaço. Nós passaremos por ela na boa. Mas e nossos descendentes!? O que restará pra eles? E a fauna e flora que nada tem a ver com a ambição parasitária do Homem!? Todos nós matamos um pouco a Terra só com o ato de existirmos, nos resta amenizar esse prejuízo.

Beijos!